quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A melhor parte da nossa memória está deste modo fora de nós


pés desconhecidos nas margens de "La Dronne", Brantôme (França)

«...A melhor parte da nossa memória está deste modo fora de nós.
Está num ar de chuva, num cheiro a quarto fechado ou no de um primeiro fogaréu,
seja onde for que de nós mesmos encontremos aquilo que a nossa inteligência pusera de parte,
a última reserva do passado, a melhor,
aquela que, quando se esgotam todas as outras,
sabe ainda fazer-nos chorar.»
Marcel Proust, in 'A Fugitiva'

Sem comentários:

Enviar um comentário