sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

You're not alone

Everybody Hurts (r.e.m.)

When your day is long
And the night, the night is yours alone
When you're sure you've had enough of this life
Hang on

Don't let yourself go
'Cause everybody cries
And everybody hurts, sometimes

Sometimes everything is wrong
Now it's time to sing along
When your day is night alone (hold on, hold on)
If you feel like letting go (hold on)
If you think you've had too much of this life
To hang on

'Cause everybody hurts
Take comfort in your friends
Everybody hurts
Don't throw your hand, oh, no
Don't throw your hand
If you feel like you're alone
No, no, no, you're not alone

If you're on your own in this life
The days and nights are long
When you think you've had too much of this life
To hang on

Well, everybody hurts
Sometimes, everybody cries
And everybody hurts, sometimes
But everybody hurts, sometimes
So hold on

Hold on 

Everybody hurts

You're not alone





http://www.youtube.com/watch?v=NLlOeGeVih4&list=PL5ZJNN_QmXpwzE8eLdtkLACJxRCp9U__m

o banco nu


"na serenidade do silêncio que me rodeia, 
olho o teu lugar neste banco vazio e nu. 
fito o leito tranquilo, 
onde é percorrida toda uma vida vivida em tão pouco tempo;
 e a neblina beija-me a face com um toque de saudade; 
e parece que trás com ela aquele perfume que embalava o sonho.
 coloco a palma da mão no assento, 
parecendo sentir o teu calor ainda. 
mas não, engano meu. puro engano! 
pois a noite arrefeceu o teu lugar,
 a madrugada dissipou o teu cheiro
 e a manhã dispersou o som do silêncio.
©erc
31.01.2014

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

a nuvem no meu quintal

«és como uma nuvem ao sabor do vento e te vais esfumando.
ainda que a tua vontade seja ficar,
não consegues evitar a força atroz que te impele para longe...
tão longe!
ainda que tivesses uma âncora e a quisesses fundear no meu quintal,
esse sopro cruel arrancar-te-ia da terra.
porque a terra do meu quintal não é assim tão forte que te possa prender.
as tuas raízes são etéreas de mais,
e ainda que o meu quintal fosse constituído pelas terras mais raras e férteis,
o teu voo seria sempre imparável.
ou não.
porventura, conseguirei eu fechar todas as portas da Terra e assim parar o vento?...
talvez o sopro cesse e tu caias no meu quintal, oh nuvem!»
erc
30.01.2014


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

o abraço

"Soltem-se as mãos naquele abraço distante.
sentido onde mais ninguém sente. 
solte-se o toque subtil e doce, tacteando 
os rostos lavados pelas águas que escorrem
da mais profunda nascente que existe dentro de nós.
porque nós não somos ninguém. 
nós, somos nós."
erc



terça-feira, 28 de janeiro de 2014

o vazio

"O vazio da alma é o espaço mais difícil de preencher."
erc
 bom dia.
Ourivesaria Aliança - Chiado, Lx

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

descarrilar em ti

"hoje percorreria todas as artérias que de ti fazem parte. às cegas, deslizaria pelas tuas ruas mais secretas, apenas p'ra desvendar os teus segredos mais íntimos. descarrilaria, se necessário, só para ficar preso no teu beco mais inacessível e de lá não mais sair. hoje morreria nas tuas vielas, só para sentir o cheiro do teu perfume."
erc