sábado, 17 de abril de 2010

Corrente


Perguntei ao rio p’ra onde vai p’ra onde desce tão apressado,
levando na corrente
gotas juntas d’amor
que arrastam consigo seres que deslumbram na passagem,
que eu avisto da margem…
sem lhes chegar.
inalcançáveis na sua dança melancólica…
ah, mas espera! ouço a música que os embala!
Melodia que me faz levitar, rodopiar!
esperando feliz,
neste palco qu’é o mar…

Eurico Rodrigues Conde
15/4/2010

Sem comentários:

Enviar um comentário