quarta-feira, 17 de março de 2010

A sete chaves

Que desalinho a minha secretária! Aqui guardo tanto e tão pouco… coisas importantes, outras nada…
objectos úteis, outros que o foram e já não são… tão úteis.
coisitas, por vezes perdidas, que são achadas… alegremente reencontradas!
Recordações! Sim, memórias guardadas, quase a sete chaves,
para as quais não tenho fechadura, qual coração arrombado!
ah! mas eu gosto da minha secretária, desalinhada, empapelada,
aparentemente descuidada!…
canetas, papeis e pincéis numa alegria caoticamente ordenada…

Eurico Rodrigues Conde
16/3/2010

Sem comentários:

Enviar um comentário